Área Restrita dos Funcionários


QUEM SOMOS

A EMPRESA

Em 12 de junho de 2007 foi criada a Sociedade  Empresária Limitada TERONI – TERMINAL RODOVIÁRIO DE  NITERÓI LTDA tendo como objeto a realização da Concessão outorgada pela NITER – Niterói Terminais Rodoviários, autarquia vinculada à Prefeitura Municipal de Niterói,  através da Licitação n° 001/2006 para , com exclusividade, praticar  a administração, operação, exploração comercial, reforma e manutenção do Terminal Rodoviário Presidente João Goulart, localizado naquela cidade, nos termos das condições exigidas pelo  Edital.
A Sociedade resultou do consórcio integrado pelas Construtora Zadar Ltda. e KF Empreendimentos Imobiliários Ltda., que vencedoras da Licitação receberam em 26 de junho de 2007 o Termo de Concessão de Uso n° 06/2007, emitido pela NITER, com validade pelo prazo de 20 (vinte) anos.

Em nove anos de administração a TERONI investiu mais de R$ 23.000,000,00 (vinte e três milhões de reais) em obras de infraestrutura e modernização do Terminal Rodoviário Presidente João Goulart, o que representa cerca de 310% a mais do que o recurso proposto na ocasião da Licitação. Tais investimentos conferiram nova aparência ao Terminal  
Com o objetivo de oferecer serviços de qualidade, o consórcio TERONI acelerou seu planejamento de reestruturação, que deu ao Terminal Rodoviário Presidente João Goulart o título de segundo melhor do Estado do Rio de Janeiro nos quesitos limpeza, segurança, iluminação, sinalização, ordem e estrutura, referente à pesquisa publicada em um jornal de grande circulação, no dia 15 de março de 2009.   Além disso em 14/07/2011 a TERONI obteve o Certificado de Conformidade da ISO-9001: 2008.

Pouco depois foi a vez de a concessionária construir um centro comercial com 48 lojas, 10 quiosques e 24 “stands”, onde os usuários podem comprar produtos de qualidade com segurança e praticidade, num espaço com 42 televisores de 58 e 42 polegadas, um telão digital de 15m² e 19 climatizadores para os dias quentes.

Segurança é prioridade para a TERONI, que nos primeiros meses de operação instalou um avançado sistema de monitoramento 24 horas, com 64 câmeras espalhadas por todo Terminal, com a gravação de imagens em alta definição, operadas por profissionais qualificados. Operam ainda em regime de 24 horas um quantitativo de orientadores capacitados, inclusive na madrugada, um novo sistema de iluminação, sala de primeiros socorros e brigada anti-incêndio, com sistema de prevenção a incêndio composto com 16 caixas de hidrantes com mangueiras de alcance de 60 metros mais 71 extintores e Introdução de sistema informatizado próprio, para controle de acesso aos banheiros 24 horas.   

Obras de pavimentação, drenagem das pistas de rolamento, implantação de novas redes coletoras e de escoamento de águas pluviais e esgoto, de energia elétrica e hidráulica, impermeabilização e reconstrução do telhado, pintura geral, e a reforma, ampliação e construção de novos banheiros foram alguns das ações de infraestrutura da concessionária no Terminal.

No entanto, o maior desafio do TERONI foi reduzir em 70% o congestionamento local, com a realização de obras de reformulação das vias de acesso dos coletivos municipais e intermunicipais às plataformas e a construção de uma área contingencial, de aproximadamente 6.400 m², localizada na parte traseira do Terminal que propicia inúmeros benefícios às Empresas de Transporte (economia de combustível, tempo, manutenção, entre outros), à Prefeitura de Niterói (melhoria d fluidez do trânsito nas cercanias do Terminal) e aos usuários  (evitando o desembarque em locais distantes do ponto final). A referida área serve de desafogo aos congestionamentos do trânsito, motivados por eventuais acidentes, chuvas intensas, manifestações populares, entre outros fatores que propiciam o acúmulo de veículos no ingresso ao Terminal Rodoviário.
Estes são alguns dos serviços oferecidos pelo consórcio TERONI, que o tornou referência na cidade de Niterói.

Há também a destacar as obras para acesso ao Caminho Niemeyer, realizadas pela TERONI, as quais permitiram que o referido marco de Niterói tivesse maior visibilidade para turistas e demais interessados.

Resumidamente, os colaboradores da TERONI desempenham as seguintes funções e serviços na organização local:

Operadores -  garantem o bom fluxo dos ônibus no interior do Terminal, controlando a entrada e a saída dos veículos, a fim de proporcionar maior conforto no embarque e desembarque dos passageiros nas plataformas;

Orientadores – atuam como vigilantes patrimoniais, auxiliam usuários com dificuldades de locomoção, utilizando, se necessário, cadeiras de rodas disponíveis e os encaminham, conforme o caso aos hospitais próximos. Estes profissionais auxiliam ainda usuários que precisem de atendimento médico emergencial, acionando a SAMU/Bombeiros, além de atuarem na orientação de embarques e de desembarques de passageiros nas plataformas, indicando também a localização de pontos de ônibus. Os orientadores realizam constantes campanhas contra a travessia de pedestres nas pistas de rolamento, exclusivas para veículos, com o objetivo de evitar acidentes.

Serviços Gerais - responsáveis pela manutenção e limpeza geral de todas as dependências do Terminal.

O TERMINAL

Principal porta de entrada e saída de Niterói, o Terminal Rodoviário Presidente João Goulart foi projetado pelo renomado arquiteto João Sampaio e fundado no dia 28 de agosto de 1994, no Centro de Niterói.  É o maior Terminal urbano da América Latina, em circulação de público e resultado de uma parceria entre a Prefeitura Municipal de Niterói e o Sindicato das Empresas de Transportes Rodoviários do Estado do Rio de Janeiro –SETRERJ.
O projeto ousado, que usa referências da zona norte da cidade, foi premiado pelo Instituto dos Arquitetos do Brasil.

Possui duas torres frontais e posteriores– ambas com lados A e B –, uma gare com 240 m de extensão e 28 m de largura, sete plataformas de embarque e desembarque, cada uma com aproximadamente 100 m de comprimento, identificadas por cores e letras do alfabeto.  Nas partes frontais dos túneis de acesso às plataformas estão colocados painéis coloridos, com indicação das Empresas de Transporte, assim como o destino das respectivas linhas que ali operam.

Além de criar empregos e adequar o sistema viário, a construção do Terminal atraiu para o local investimentos vultosos como os do Shopping Bay Market e, recentemente, o Caminho Niemeyer.

O Terminal de Niterói, como é conhecido pela população, tem 15.454 m² de área construída, com circulação de pessoas que atinge à média de 535 mil acessos por dia, com destinos às cidades de Rio de Janeiro, São Gonçalo, Itaboraí, Maricá, Rio Bonito, Tanguá, Duque de Caxias, Nova Iguaçu, Saquarema, Araruama, Cabo Frio, entre outras. Os usuários contam com uma frota diária de 1.645 ônibus distribuídos em 74 linhas intermunicipais e 29 municipais praticadas por 19 Empresas de Viação
 
O Terminal funciona 24 horas ao dia, com funcionários organizados em três turnos, incluindo a segurança local, com profissionais qualificados, 240 lixeiras por todo o terminal, banheiros 24 horas, adaptados de acordo com as normas técnicas para portadores de deficiências, orelhões, stand da Loterj, loteria da CEF, caixas eletrônicos, lojas, quiosques e “stands” que prestam serviços aos usuários.

Achados e Perdidos - setor responsável pelo recebimento, divulgação e entrega de documentos e objetos variados, perdidos ou esquecidos nas dependências do Terminal.

Livro em Movimento - consultas e doações de livros para usuários.

Gare:  série de serviços como campanhas de vacinação, festas de Natal e etc., vem sendo realizados frequentemente no Terminal Rodoviário Presidente João Goulart, um trabalho desenvolvido pela TERONI, desde o início de sua operação no local, em 2007.
 
©2017 - Terminal Rodoviário Presidente João Goulart - SAC: (21) 2620-6344 / (21) 2621-1194 (Fax) - Rosantonio Designs